sábado, 10 de outubro de 2009

No Aperibé

                                                                                         


Esse pequeno amontoado de ruas, entre os rios Paraíba do Sul e Pomba, no interior do Rio de Janeiro é o Aperibé e pra chegar, partindo de São Paulo, é um tanto sofrido: com muita sorte, são dez horas de Viação Itapemirim, ônibus “convencional” que quer dizer: o mais simplezinho e desconfortável possível. E pra essa minha segunda aventura por lá, foram doze longas horas. Mas vale cada minuto de tortura!



São dez mil habitantes, densidade de 104 por km2, vivendo num lindo pedaço de terra, de vegetação deslumbrante.

A cidade é pobre e não há muito que fazer, por isso e obedecendo um antigo hábito das pequenas povoações, as casas mantém suas portas abertas e, a da Neusa é uma festa permanente. Sem convite e sem aviso, os amigos vão chegando pra horas de conversa boa, churrasco e muita cerveja. Gente de todas as idades reunida... “gente pobre, gente rica, deputado senador...” conversando, rindo e ... muita cerveja!


Desta vez a festa, em comemoração ao aniversário da Neusa, foi especial porque além dos muitos e habituais amigos, contou com a presença da Roberta e do Rodrigo, filhos da Neusa e parte da turminha deles, que levaram muita alegria pra mãe corujíssima e provocaram uma sensível redução na média das idades.

Eu não me lembrava direito de quanto são boas tais reuniões. Obrigada Neusa, amiga querida, por me incluir entre os seus amigos e dividir essa alegria comigo.







5 comentários:

Suely disse...

Vocês são todos uns festeiros de primeira, dá pra notar no tom da narrativa e nas fotos.

Foi muito bom rever vocês, Helô e Neusa.

caforjaz disse...

ieu tomém quero í ... :S

Neusa disse...

Uma delícia ver não só a minha cidade como tambem a "minha gente" retratadas assim, com tanto carinho.E vc Helô, já faz parte deste cenário interiorano e amigo.Beijão.

Ângela disse...

Q lindo lugar Helô. Eu adoro ler o que vc escreve. Me delicio.
Neusa é uma felizarda por morar em lugar tão bonito e tranquilo. Só tenho medo é da enchete, que não volte mais.
Bjssssssssss

Plínio disse...

Grande Aperibé! A gente tem a sensação que não existe um "interior do Rio de Janeiro", mas está aí, existe sim! rs

Aproveito para agradecer a Neusa e toda a sua família pela hospitalidade e pela companhia no final de semana que passei no Rio. Adorei estar lá com pessoas tão legais! Esperamos vocês por aqui!

Plínio